Pai que cria: recados aos novos pais de 2020

experiencias-sobre-paternidade

Por Rafael De Milon / Pai que Cria

Neste último dia dos pais, recebi várias marcações dos novo e bem-vindos ao grupo dos papais, onde vários postaram seus filhos no colo pós parto, ou cuidando dos recém chegados em alguma situação diária. A você que me mandou mensagem e marcou uma publicação com o @paiquecria primeiramente muito obrigado. Mas, tenho um recado pra você.

Desde que me tornei o pai que cria tenho visto e incentivado a participação dos pais cada dia mais presentes desde o nascimento dos seus filhos. Eles acompanham toda dor e desconforto das mães, durante a gravidez até a chegada do bebê, independente das vias de parto, o que faz esse homem aumentar ainda mais a admiração pela mulher. 

Mas, quando falamos de bebê, eles assumem uma posição expectadora e admiradora. O que é comum, visto que as mulheres assumem o posto dos cuidados. Os pais acham lindo, se emocionam, mas não se atrevem a tocar o bebê com medo de machuca-lo. Quando colocam seu filho no colo deles, logo já ficam desesperados: “eu não sei pegar” “não tenho jeito”. Minha resposta é: “ se não sabe, aprende!

Pegue de um jeito que não vai deixar cair e que não fica com a cabeça solta e corpo mole. O resto se ajeita!”. O colo do pai não é igual da mãe ou da avó, ele dá a sensação de segurança. O bebê não tem que ficar aninhado, embrulhado só nos colos, da mãe e avós, precisa se sentir seguro. Só isso!

Além do mais precisa diferenciar os sons e cheiros de quem é quem. Vale lembrar que a maioria das mães escolhe o parceiro porque sentiu um abraço seguro, concorda? Então, precisa ficar claro que a figura do pai é segurança e não conforto. Depois dos cuidados e avaliações iniciais, podem colocar o pai para vestir a primeira roupa, colocar a primeira fralda.

pai que cria - rafael milon
Pai que Cria – Rafael De Milon

A maioria arrepia, treme de medo, mas acaba tendo uma interação única e, principalmente sente-se seguro para auxiliar nos cuidados com o bebê. Assim, entendem que o bebê não quebra e que podem pegar sem medo. Para as mães que ainda irão precisar do apoio e auxílio do parceiro nestas atividades com bebê de madrugada, mamar, arrotar, fazer dormir, trocar fraudas, dar banho entre tantos outros afazeres para a mão exausta não só descansar, mas dar a ele a oportunidade de aprender na prática o que é paternidade participativa, incentivem e não julguem.

Não há jeito certo ou errado, existe o seu jeito e o dele. Lembre-se, você aprendeu de um jeito e ele de outro, agora sua nova família irá juntar os dois modelos para encontrar uma única forma de fazer estas atividades. Portanto, deixem os pais serem pais. Cuidem de suas funções como mães. Se o pai não participa e você quer que ele participe, seja clara. Fale exatamente o que espera. Não crie expectativa que o pai vai ser como você deseja. Os homens precisam escutar o que se espera deles. Jamais corrija-os.

Para aqueles que ainda não tiveram a experiência ao nascimento, não deixem de fazer em algum momento. É uma conexão única para autoconhecimento como pai e para o bebê de saber quem é o pai desde cedo. Já as mães, avós, tias precisam se controlar para não criticá-los, ficar dando ordens de como devem fazer sem ser solicitadas. Não existe nada mais frustrante do que você querer fazer algo de coração e ainda ser corrigido.

Portanto, precisa ficar claro que a figura do pai é segurança e não conforto. Depois dos cuidados e avaliações iniciais, podemos colocar o pai para vestir a primeira roupa, colocar a primeira fralda. A maioria arrepia, treme de medo, mas acaba tendo uma interação única e, principalmente sente-se seguro para auxiliar nos cuidados com o bebê.

Assim, entendem que o bebê não quebra e que podem pegar sem medo.Finalmente aos pais, briguem e assumam seu papéis, o protagonismo da vida de seus filhos sua posição de herói que será eternamente para eles, busquem contato físico com seu filho desde o nascimento. Isso contribuirá para termos no futuro um adulto seguro para conhecer e explorar o mundo. Sem falar na admiração que a parceira terá em sua postura. A vocês só desejo o sucesso. 

Rafael de Milon
Rafael de Milon e Giovanna

Na foto a recém-nascida Giovanna minha primeira princesa em meus braços e aquele momento que cai a ficha que agora sou par de verdade. Registro de @nathaliaponce .

Compartilhe:

Você também vai curtir

Whatsapp do GURU

Acompanhe as novidades mais quentes do Guru direto no seu celular.

Clique Aqui