fbpx

Notícias

Estreias: 7 curiosidades sobre a volta do Rei Leão às telonas

O Rei Leão – Divulgação

Por Guru da Cidade

Nessa quinta-feira (18) o Rei Leão volta aos cinemas em uma mistura de tecnologia de ponta (com a utilização de atores para captar as feições e transformar em animais com a computação gráfica) e imagens reais, a live action. A primeira e clássica versão do filme foi lançada em 1994 e conquistou o mundo.

Confira algumas curiosidades sobre esse retorno.

1) História

A história continua a mesma da versão de 1994, com o jovem leão Simba perdendo seu pai Mufasa após uma armadilha do tio Scar e saindo do reino para fugir dos problemas.

2) Hakuna Matata

A música Hakuna Matata, que fez sucesso na versão de 1994 estará de volta na nova versão. A expressão vem da língua suaíli e significa, em tradução livre, “não há problemas”. Prepare o lencinho e comece a cantar: “os seus problemas, você deve esquecer. Isso é viver, é aprender. Hakuna Matata”.

3) Trilha sonora de peso

Além dos sucessos da primeira versão, o Rei Leão de 2019 traz músicas inéditas, como Spirit, composta e cantada pela diva Beyoncé. Também estão confirmados na trilha sonora artistas como Childish Gambino, JAY-Z e Kendrick Lamar.

4) Personagens que parecem reais

Apesar de o longa ter sido feito através da computação gráfica, a equipe apostou em uma riqueza de imagens de tirar o fôlego. É possível ver o movimento da pelugem dos leões e as cores vibrantes da natureza, mas os personagens mantiveram as características e personalidade originais.

5) 30 minutos a mais

O cineasta Jon Favreau confirmou que a nova versão tem 30 minutos a mais que a original, porque a equipe investiu em mostrar mais a selva e passar detalhes dos personagens. Segundo a imprensa americana, as hienas de 2019 estão muito mais ameaçadoras nessa versão.

6) Possível sucesso

A previsão é que o filme arrecade mais de US$ 150 milhões apenas na primeira semana, seguindo o sucesso das versões Disney como Alladin, que já rendeu mais de US$ 925 milhões.

7) Mudanças

Apesar de manter grande parte da versão original, o novo filme traz algumas mudanças no roteiro. A morte de Mufasa, por exemplo, é mais dramática que em 1994, com mais ódio de Scar. Timão e Pumba também ganham mais destaque dessa vez e ainda fazem piadas com referências à animação original. A Nala de 2019 também sofre mudanças, com uma personalidade mais arrojada e proativa.