fbpx

Notícias

5 dicas de como lidar com a família no Natal, segundo uma psicóloga

Brigas – Eater

Humanos são animais sociais que anseiam por conexão com os outros. É um impulso que parece estar ligado aos nossos sistemas de modo que, quando experimentamos rejeição ou estranhamento dos outros, a experiência pode parecer muito com a dor física.

O desejo de evitar esses sentimentos dolorosos pode ser o motivo pelo qual muitas pessoas se esforçam para se reconectar com membros rebeldes da família durante as férias, mesmo que essa reconexão apresente riscos de desconforto, mágoa ou decepção. Isso não significa que devamos evitar acolher os membros da família do lar, mas que uma dose de expectativas realistas e algumas técnicas comprovadas podem resultar em visitas de férias mais pacíficas com membros da família com quem não mantemos tanto contato.

Como psicóloga clínica e pesquisadora que estuda casais e famílias com problemas crônicos de saúde, muitas vezes ouço pessoas que sentem que são as únicas que têm relacionamentos familiares que deram errado. No entanto, eles têm mais companhia do que imaginam e existem estratégias para lidar com isso.

Uma distância indesejável

Muitas pessoas experimentam relacionamentos familiares tensos de tempos em tempos. O distanciamento é uma condição mais prolongada que consiste no distanciamento físico ou emocional de um ou mais membros da família que não é desejado por ambas as partes. O distanciamento familiar é relativamente comum, com 4% a 10% dos adultos relatando comportamentos do tipo entre filhos adultos e seus pais.

Conflitos familiares -Forbes
Conflitos familiares -Forbes

É provável que os números sejam mais altos quando se examinam outros relacionamentos familiares, como entre irmãos e quando se considera o grande número de famílias que são afetadas por problemas que podem contribuir para o distanciamento. Por exemplo, o vício em álcool e drogas, um comum fator desencadeante de estranhamento, afeta as vidas não apenas da própria pessoa, mas também de 100 milhões de membros de suas famílias em todo o mundo.

Além dos vícios, pais com filhos adultos alienados também culpam o distanciamento de problemas como mentiras crônicas e relacionamentos problemáticos com pessoas de fora da família.

Estranhamento pode ir nos dois sentidos

Nem sempre é o comportamento das crianças que contribui para o estranhamento. Filhos mais velhos relatam se distanciar ativamente dos pais por os verem como julgadores, narcisistas ou abusivos. Assim, o distanciamento pode servir a uma função protetora, permitindo que as pessoas afetadas ocupem o espaço emocional para cuidar de si mesmas e decidam como navegar em seus relacionamentos.

Distanciar-se de um membro da família pode ser uma estratégia saudável para algumas pessoas, mas também pode contribuir para sentimentos de perda, angústia e estigmatização. Mas por que? Uma explicação é que muitas pessoas consideram os laços familiares como laços permanentes, dignos de respeito e cuidado.

Brigas de família - YouTube
Brigas de família – YouTube

Expressões como “o sangue é mais espesso do que a água” e “a caridade começa em casa” simbolizam a importância dos laços familiares e a necessidade de protegê-los a todo custo. Essas fortes mensagens culturais podem contribuir para sentimentos de culpa e tentativas de reconciliação, especialmente quando amigos e parentes que promovem essa reconciliação, uma estratégia que não é recomendada a menos que ambas as partes desejem fazê-lo.

Como apontado na pesquisa de vícios, os membros da família podem se beneficiar quando não estudam os prós e os contras de diferentes tipos de envolvimento com seus entes queridos. Por exemplo, eles podem adotar uma abordagem de tolerância zero, como barrar o ente querido da casa, permanecer em silêncio diante de comportamentos problemáticos ou se distanciar do ente querido. Encontrar pessoas nas quais confiar para o apoio também pode proporcionar alívio para aqueles que estão considerando dar boas-vindas aos membros da família.

 Construindo pontes

Que outras estratégias podem ser usadas pelos entes queridos ao receber um membro da família com quem eles compartilham um relacionamento conturbado? Grande parte dos conselhos para lidar com o estresse durante as férias é adequada a essa situação. Além disso, existem várias estratégias baseadas em terapias psicológicas que podem ser úteis:

1) Seja honesto e realista consigo mesmo

Fonte: 1843 Magazine
Fonte: 1843 Magazine

O que é que você quer alcançar reconectando-se com membros da família afastados durante as férias? Você está procurando por um breve tempo juntos, os primeiros passos para reconstruir um relacionamento? Com base nas suas interações anteriores com os membros da sua família e refletindo sobre o motivo do estranhamento, qual a probabilidade de isso acontecer? Você precisa mudar suas expectativas? Ou há certas coisas que você pode fazer para reduzir a probabilidade de um maior distanciamento?

Se você estiver preocupado com assuntos delicados que podem desencadear sentimentos de raiva e mágoa, por exemplo, talvez construa uma atividade, introduzindo jogos para desviar o foco de mágoas passadas ou refazer eventos negativos. Se o uso ou abuso de álcool contribuiu para o estranhamento, considere servir uma variedade de bebidas não alcoólicas.

2) Desenvolver a capacidade de tolerar o sofrimento

Meditação - Medical News Today
Meditação – Medical News Today

Quando evitamos a dor, às vezes podemos agir de maneira a afastar os outros. A tolerância à aflição é essencial para neutralizar a probabilidade de trocas prejudiciais. Uma maneira de construir a capacidade de tolerar a angústia são práticas de conscientização, incluindo meditação, exercícios de respiração curta ou foco consciente e intencional em atividades como caminhar e ouvir música.

Essas atividades podem aumentar a tolerância à angústia antes de se reunir com os membros da família, mas também durante as reuniões familiares. Você pode, por exemplo, ir  para a cozinha para cortar legumes ou lavar a louça ou pedir licença para dar uma breve caminhada.

3) Preste atenção aos seus entes queridos

Abraço -All That's Interesting
Abraço -All That’s Interesting

A consciência também pode ser direcionada para os membros da família. Em minha própria pesquisa e prática clínica com casais lidando com problemas de saúde desafiadores, o distanciamento emocional geralmente acontece quando os membros da família não aceitam as emoções dolorosas de seus entes queridos como válidas ou reais.

Respostas de validação emocionais, como fazer perguntas sobre como um ente querido está sentindo e refletindo o sentimento ou a experiência. Frases como “Isso parece difícil” ou “Sinto muito que você esteja se sentindo assim” expressam cuidado e preocupação, e estão relacionados a um melhor bem-estar pessoal e de relacionamento.

Validação emocional não é o mesmo que concordar com suas escolhas ou por que elas se sentem assim. Terapias para melhorar a validação emocional são tratamentos promissores para casais e famílias que vivenciam a distância emocional.

4) Pratique gratidão e, se possível, perdoe

Gratidão - Free Great Picture
Gratidão – Free Great Picture

Se há chances de receber os membros da família ou ser bem-vindo de volta, ainda é possível expressar gratidão por aquelas pessoas que lhe trazem alegria ou ajudaram você a aprender algo importante. Atos de gratidão estão associados ao bem-estar e podem ajudar a enfocar os aspectos positivos dos relacionamentos difíceis.

Quando isso não for possível, aprecie a bondade da vida em vez de se concentrar nos relacionamentos que deram errado. Talvez o mais difícil de todos seja perdoar aqueles de quem nos sentimos alienados. O perdão pode curar a dor associada às memórias de traição e relacionamentos difíceis e promover o bem-estar. No entanto, ninguém deve se sentir envergonhado ou se machucar por não poder perdoar.

5) Comece novas tradições

Novas tradições - The Spruce
Novas tradições – The Spruce

Pode não ser possível salvar relacionamentos familiares; talvez seja muito arriscado envolver um membro da família distante. Nesses casos, considere iniciar novas tradições para celebrar as festas e encontrar a conexão social desejada. Celebre em casa com amigos, tenha um tempo de retiro pessoal ou faça uma viagem.

As festas de fim de ano, um período geralmente otimista, podem ser o momento certo para se reconectar com os membros da família com quem estamos distantes. É também um momento para cuidar de nós mesmos, experimentar a alegria e recarregar para o próximo ano. É possível fazer as duas coisas com planejamento e preparação.

*Annmarie Cano é professora de Psicologia e reitora associada para o Desenvolvimento de Professores e Sucesso da Wayne State University. O texto original foi publicado em inglês no The Conversation.

Fonte: Galileu