Dia Nacional de Combate ao Fumo: conheça quem trocou o vício por hábitos saudáveis

cigarro

Por Guru da Cidade

marcelo_cigarro
Marcelo vieira

Depois de 20 anos fumando, Marcelo Geraldo Viera e Silva, de 49 anos, decidiu que era hora de mudar de vida. Isso aconteceu em 2007, quando chegou ao ápice de dois maços de cigarro por dia. À época, a esposa dele praticava corrida e Marcelo passou a se interessar pelo esporte. Dez anos depois ele conta os dias para a 8ª maratona que vai participar (42.195 metros), em Santa Catarina, na próxima semana. A meta é chegar a 80 km no ano que vem. Vício? Só de for de vida saudável!

No Dia Mundial de Combate ao Tabaco, celebrado nesta terça (29/08), o Guru da Cidade traz exemplos reais de quem superou o vício e hoje tem uma vida muito mais harmônica e feliz.  No caso de Marcelo, parar de fumar significou melhorias em todos os campos da vida. Ele emagreceu 14 quilos e melhorou significativamente a relação com esposa e filhos.

“O cigarro nos torna egoístas, qualquer coisa é motivo para fumar (café, almoço, acordar cedo) e esquecemos das pessoas a nossa volta que viram fumantes passivos”.

(Marcelo)

Foto: Arquivo Pessoal
Foto: Arquivo Pessoal

De acordo com a psicóloga, Thereza Modesto, proprietária do centro de recuperação Plenitude, o ser humano tem uma busca incessante por coisas que lhe tragam alguma forma de prazer e, muitas vezes, acaba se prendendo a esses objetos ou hábitos em busca de alívio para algo que o incomoda no âmbito emocional ou comportamental.

“Muitas pessoas se prendem a prazeres destrutivos como e o caso das drogas ilícitas, ou lícitas (tabaco e álcool), outras acabam colocando a busca de prazer em ter uma boa qualidade de vida gerando então satisfações mais duradouras. Porém, ambas as procuras, na maioria das vezes, estão ligadas a questões orgânicas emocionais e comportamentais. Por isso, para superar os vícios é necessário toda uma reformulação do comportamento humano e um alto grau de vontade para mudança”.


Encontrar a causa

“Todo vício é uma busca de algo”, diz a massoterapeuta, Amanda Carvalho (nome fictício), 36 anos. Ela fala com conhecimento de causa, já que começou a fumar quando tinha apenas 13 anos, na época, por necessidade de preencher um vazio da adolescência, resultado da falta de compreensão do mundo. Ela chegou a parar aos 15, quando engravidou do primeiro filho mas, depois de oito meses amamentando, o vício voltou. “Eram duas carteiras de cigarro por dia. Eu era muito magra, pesava cerca de 47 quilos”.

Quando veio o segundo filho, Amanda parou no período da gestação, mas voltou em seguida por conta de uma depressão pós-parto. Foi aos 21 anos, quando percebeu a causa do vício, que ela decidiu parar.

“Participei de uma palestra que explicava como era o vício dentro da espiritualidade e passei a prestar mais atenção quando estava fumando. Foi quando identifiquei os momentos que tinha maior desejo pelo cigarro: quando precisava resolver uma questão, fechar algo, me posicionar. Ao me conhecer melhor passei a tratar as causas e não os efeitos”.

(Amanda)

Dentro da Bioenergia ela descobriu que os vícios considerados orais (cigarro, comida, maconha e outros) têm relação com o momento da infância em que ocorreu o desmame da mãe. “É como se a pessoa quisesse sugar algo, buscar um preenchimento externo para um vazio interior”.  Diante disso, ela começou a fazer tratamento com Reiki, Florais, Constelação Familiar e massagem, além de mudar os hábitos. Também deixou amigos que compartilhavam do vício, parou de sair e beber e até mudou de cidade. “É preciso um grau de vontade para reconhecer o vício e buscar resolver o problema”, afirma.


Dia Nacional de Combate ao Fumo

O Dia Nacional de Combate ao Fumo, comemorado em 29 de agosto, tem como objetivo reforçar as ações nacionais de sensibilização e mobilização da população para os danos sociais, políticos, econômicos e ambientais causados pelo tabaco.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), o tabagismo é a principal causa de morte evitável no planeta, sendo considerado, portanto, um problema de saúde pública. Estima-se que cerca de 200 mil pessoas morram todo o ano no Brasil em decorrência do fumo. Esse valor salta para cerca de 4,9 milhões em perspectiva mundial.

O tabagismo pode desencadear cerca de 50 problemas de saúde, dentre os quais, destacam-se: infarto do miocárdio, enfisema pulmonar, derrame, câncer de pulmão, traqueia, laringe e brônquio; impotência sexual no homem, infertilidade da mulher, hipertensão e diabetes. Estima-se que 90% das pessoas que desenvolvem câncer de pulmão apresentem como fator responsável o fumo, sendo importante destacar que as chances de cura para essa doença são bastante baixas.

Portanto, fica a dica do Guru: abandone de vez o cigarro!

Compartilhe:

Você também vai curtir

Whatsapp do GURU

Acompanhe as novidades mais quentes do Guru direto no seu celular.

Clique Aqui