Notícias

Jovem mato-grossense apresenta documentário em festival europeu

Meu Rio Vermelho 2

Por Maria Clara Cabral

Depois de mais de 20 exibições de norte ao sul do país, é a vez dos festivais europeus conhecerem a diversidade cultural das histórias que envolvem o documentário Meu Rio Vermelho, produzido pelo mato-grossense Rafael Irineu.

Kino Slpendid Palace/Foto: Divulgação

No último dia 29, o filme foi exibido no grandioso cinema Kino Slpendid Palace, na cidade de Riga, na Letônia, junto com o filme Trilha Transcarioca, do Rio de Janeiro –  os únicos brasileiros selecionados para o festival, que reúne produções de cunho turístico. No dia 05, o documentário chega a cidade Viana do Castelo, em Portugal, no festival Olhares Frontais, que ocorre no Teatro Municipal de Sá Miranda.

Teatro Municipal de Sá Miranda/Foto: Divulgação

O DOCUMENTÁRIO

O curta-metragem convida o público a uma expedição no Rio Vermelho e retrata o cotidiano das comunidades que se formam em seu entorno, cuja sobrevivência depende do rio e enfrenta as problemáticas do agronegócio. Passa por histórias de pescadores e moradores do distrito de Juradore, da Aldeia Tadarimana e da própria formação da cidade de Rondonópolis. “O personagem principal é o rio. Os locais, pessoas e acontecimentos que circundam ali são consequências. Ele trata sobre agrotóxicos, cultura, alimentação, arte, história, lazer, esgoto e riquezas”, explica o diretor.

Divulgação

Rafael é rondonopoliano, assim como sua equipe: o produtor, Ayrton Senna, e os assistentes de produção, Vanelli Seller e Bruno Figueiredo. Ele conta que um mini documentário que fez sobre o Cururu e Siriri o instigou a realizar outro, e a temática que escolheu já lhe despertava interesse. “A ideia veio da curiosidade de olhar os dois lados do Rio Vermelho, de ponta a ponta, e me perguntar o que existe antes e depois”, explica Rafael.

A gravação ocorreu em março de 2016 e o lançamento no Sesc de Rondonópolis e Cuiabá. A realização do filme contou com incentivo destinado a produções no âmbito cultural de alunos da Universidade Federal de Mato Grosso, o programa Pró-Cultura, da Pró Reitoria de Cultura, Extensão e Vivência da UFMT. Também contou com parceria da produtora local Símios Agência & Filmes e R.I Produções e a dedicação de cada personagem do filme. “Todos foram fundamentais não só pelo depoimento ou entrevista, mas cada um cooperou de alguma forma, seja com uma viagem de barco, um contato ou parcerias” conta.

Divulgação

PRÊMIOS

Meu Rio Vermelho é filme premiado. Venceu a categoria de melhor documentário, no Festival da Freguesia do Ò, em São Paulo, e representará o Estado de Mato Grosso no circuito nacional da Amazônia das Artes. Também será exibido no Museu da Imagem e do Som de São Paulo e foi indicado para o prêmio ABC 2017, na categoria estudantil.

ASSISTA

Se interessou? O documentário está sendo em circuito de festivais e será exibido em Cuiabá na Mostra Latitude 15o, do Cineclube Coxiponés, que acorre dos dias 15 e 16 de maio.

Fique atento às novidades no Guru e não perca a oportunidade de prestigiar o cinema mato-grossense.

Confira o trailer abaixo e saiba mais informações no site do filme.