Conheça a influenciadora Nayane Camassolo

Acompanhe os artigos da psicóloga Nayane Camassolo e aprenda a lidar melhor com seus relacionamentos.

NAYANE CAMASSOLO

Era um dia de sol como quase sempre em Cuiabá e eu resolvi fazer meu Crossfit lá pelo fim da manhã. Entrei no Box e guardei minha bolsa e meus óculos. Quando virei, notei mais à frente uma conhecida acompanhada de sua amiga. “Mas será que é ela mesmo?” pensei comigo. Eu estava sem óculos. Então, aceitei que a resposta viesse através de algumas aproximações não forçadas que a aula de cross proporciona. E fui fazendo meus exercícios.

Durante a aula não teve muita interação entre alunos, pois o exercício era puxado e corrido em alguns momentos. Quase no fim da aula cheguei à conclusão de que era ela mesma. Me aproximei e perguntei: “Fulana é você?”. Ela disse que sim, relembramos coisas do passado e ela me apresentou a amiga dela. Então, perguntei: “o que acharam da aula?”. Responderam basicamente que gostaram, mas da interação entre alunos não.

Crossfit – foto divulgação

Disseram que ninguém se aproximou para conhecê-las, além do professor, e que a ideia delas era fazer amizades. A expressão de descontentamento era óbvia. E elas nem consideram o fato de eu ter me aproximado, mas OK. Pela conversa, senti que elas não iriam passar das 3 aulas experimentais.

Mas, onde quero chegar com esta história é: como certas crenças podem limitar as nossas vidas na hora de se comunicar e fazer amigos, assim como atrapalhou a vida da minha conhecida?

Quero mudar sua crença de que uma festa, um encontro entre amigos (as) ou até mesmo uma ida à academia pode ser chata porque ninguém falou mais do que um “boa noite” pra você ou porque ninguém novo ou nem mesmo o anfitrião veio conversar para te conhecer e te deixar mais incluído no grupo. 

Não tenha vergonha – Foto divulgação

Primeiro, se pergunte o que você pode fazer pra que aquele momento seja mais gostoso e divertido. Como você pode contribuir pra aquele encontro? Pense nas suas qualidades e veja se cabe levar para o local.

Segundo, compreenda que você não precisa esperar que se aproximem pra que exista a possibilidade de uma amizade ou de uma simples conversa. Já pensou que você mesmo pode fazer isso? Não? Então, eu vou te dar a chave central pra mudar isso.

Se você quer conhecer pessoas, então se interesse em saber quem são. Deve compreendê-las como um ser humano cheio de histórias e experiências. Pense em cada um como um universo a ser descoberto. E que vai aprender coisas novas e compartilhar as suas com ela. As pessoas adoram falar de si mesmas e perceber que tem alguém interessado no que contam e explicam. (Sim, existem a exceções, mas é mais raro).

 Então, apresente-se, supere os medos, receios e angústias. E se a conversa não rolar, tente de novo com outra pessoa. Você vai experimentar algo novo e libertador, que é um pouco da consciência de saber sobre o que está dentro do seu controle e o que não.

Epíteto, filósofo estoico, já falava há muito tempo que:

“A felicidade e a liberdade começam com a clara compreensão de um princípio: algumas coisas estão sob nosso controle, outras não. Só depois de lidar com essa questão fundamental e aprender a distinguir entre o que você pode e o que não pode controlar, é que a tranquilidade interna e a eficácia externa se torna possíveis.”                                                 

Filósofo Epíteto – foto divulgação

E como exemplo do que disse acima, vou me apresentar e dizer a que vim. Me chamo Nayane Camassolo, sou psicoterapeuta formada em Psicologia pela UFMT e pós-graduanda em Psicoterapia Junguiana pela UNIP.

A princípio desejo conversar contigo sobre relacionamentos de todos os tipos, sejam eles amorosos, familiares, de amizade, religiosos ou no trabalho. Em resumo, vou falar sobre relacionamento com pessoas, objetos e áreas da vida. Porque pra se relacionar com algo, basta estar vivo. E relacionamentos que nos causam sofrimento é que o que não faltam.

Meu objetivo é que após ler meu texto, você saia com algo novo, algo que possa aplicar na sua vida de forma prática ou que ao menos conheça outras maneiras de ver o mundo.

Eu quero sim construir uma relação com você, saber o que pensa, seus sentimentos, soluções, histórias, ideias e insights. Então, não se acanhe em falar comigo. Sou toda ouvidos, porque sei que poço aprender muito com você também.

E finalizando nosso assunto anterior, quero deixar claro que essa nova atitude é para pessoas que estão com a faca e o queijo na mão, mas estão esperando outra pessoa cortar e por na sua boca. Ou seja, pra aquelas que precisam só de um empurrãozinho de consciência. Pessoas que sofrem de transtornos sociais, autismo, timidez e outros podem precisar de grandes doses de psicoterapia.

 A ideia desse texto é te ajudar a se comunicar e a se envolver de forma diferente e mais saudável com o mundo à sua volta. Se o feedback for bom, então, por favorzinho, comente aí embaixo, vai!

Nos próximos textos, trarei ideias de como você pode fazer aquela resenha ficar mais legal e maneiras de se aproximar e fazer mais amigos.

Abraços e até a próxima!

NAYANE CAMASSOLO
Instagram: @naycamassolopsi
Psicóloga que acredita no poder da comunicação
como um instrumento para se construir bons relacionamentos.

Compartilhe:

Você também vai curtir

Whatsapp do GURU

Acompanhe as novidades mais quentes do Guru direto no seu celular.

Clique Aqui